Após anunciar a contratação de 13 médicos para cargos temporários, principalmente psiquiatras, a Polícia Militar afirmou que uma nova seleção, desta vez com 20 vagas, deve acontecer em 2018. Segundo o Comandante Geral da PM, Coronel Nylton Rodrigues, em entrevista ao Gazeta Online, as 20 contratações serão para oficiais médicos. O edital deve sair nas próximas semanas.

“O último concurso para médico do Hospital da Polícia Militar ocorreu há 25 anos. É necessário fazer essa nova seleção”, afirmou o coronel. O comandante não detalhou quais serão as especialidades requisitadas, mas informou que, dentre elas, haverá psiquiatras.

“O policial militar atua no enfrentamento da violência, uma atividade extremamente estressante. É necessário que a nossa instituição forneça uma retaguarda para quem precisar de atendimento nessa área”, explicou o comandante.

Coronel Nylton informou ainda que está sendo firmada uma parceria com a Secretaria Estadual de Saúde para aumentar a capacidade do Hospital da Polícia Militar (HPM). Os detalhes devem ser anunciados pelo Governo do Estado ainda este mês.

A SELEÇÃO PARA TEMPORÁRIOS

A Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) divulgou na manhã desta segunda-feira (4) o edital de abertura do processo seletivo destinado a atender a necessidade temporária da Diretoria de Saúde da corporação (DS/PMES). A seleção oferece 13 vagas para profissionais de nível superior. A remuneração pode chegar a R$ 9,2 mil. Também haverá a formação de cadastro de reserva.

Os interessados poderão se inscrever no site www.selecao.es.gov.br, a partir das 0h do dia 7 de dezembro de 2017 até as 23h59 do dia 17 de dezembro de 2017.

A seleção vai contar com três etapas. A primeira será a de inscrição e classificação, enquanto que a segunda fase terá comprovação de requisitos, experiência e qualificação profissional. Já a terceira etapa, de acordo com o edital, será a formalização do contrato.

De acordo com o edital, o certame prevê a contratação de seis médicos psiquiatras. São três vagas para carga horária de 24 horas semanais e três para 40 horas semanais. A remuneração é de R$ 5.542,68 e R$ 9.237,80, respectivamente.

Há três oportunidades para assistente social e quatro para psicólogo. Os profissionais precisam comprovar experiência mínima de seis meses em saúde mental e/ou em unidade hospitalar. A remuneração é de R$ 4.232,00, para carga horária de 40 horas semanais.

Requisitos para vagas dos temporários

 

 

Segundo o Comandante da Polícia Militar, Coronel Nylton Rodrigues, as 13 vagas serão ofertadas através de uma seleção simplificada. Os profissionais contratados serão temporários e vão atuar durante dois anos, podendo ter o trabalho estendido por mais dois anos.

Segundo o coronel, houve a necessidade de uma contratação simplificada, mas ágil do que o concurso regular, para que os profissionais comecem a trabalhar o mais rápido possível.

“O policial militar atua no enfrentamento da violência, uma atividade extremamente estressante. É necessário que a nossa instituição forneça uma retaguarda para quem precisar de atendimento nessa área”, explicou o comandante.

Ele afirma ainda que foi necessário fazer essa contratação simplificada pois o comando da corporação notou um aumento no número de policiais necessitando de tratamento psiquiátrico. “Por isso que nos nos mobilizamos para que a contratação acontecesse o mais rápido possível”, esclareceu.

O GRANDE CONCURSO COM 437 VAGAS

A Polícia Militar do Espírito Santo e o Corpo de Bombeiros vão abrir concurso público com 437 vagas. O edital deve sair ainda neste início de dezembro. Ainda não há data para início das inscrições.

Para a PM, serão 310 oportunidades, distribuídas pelos cargos de soldado (250), oficial (30), oficial médico do Hospital da Polícia Militar (20) e músico (10). Para bombeiros, são 120 soldados e 7 oficiais. A remuneração é de R$ 3.272,06 para soldados e R$ 6.716,48 para oficiais. Já estão inclusos a escala extra e o auxílio alimentação.

O próximo passo será a contratação da empresa que ficará responsável pela elaboração do edital. A expectativa é de que as regras dos certames sejam publicadas até o início de dezembro. Já as provas objetivas estão previstas para serem aplicadas no início de 2018. A ideia é de que uma mesma empresa organize os concursos da PM e do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o comandante-geral da PM, coronel Nylton Rodrigues, haverá provas objetivas, teste de aptidão física, exame psicossomático, exame de saúde, investigação social e teste toxicológico.

O curso de formação de soldados tem a duração de dois anos, sendo um ano de teoria e um ano de estágio supervisionado. Já a formação dos oficiais é de três anos e um de estágio probatório. É bom lembrar que os oficiais saem da academia com uma formação de nível superior.

Os últimos concursos para soldado e oficial foram lançados em 2013. Na última seleção, o cargo de soldado tinha como remuneração R$ 2,6 mil, enquanto para oficiais no primeiro ano do curso o subsídio era de R$ 2.355,12, podendo chegar a R$ 5.516,10 após a formação.

Já o Corpo de Bombeiros teve o último edital publicado no final de 2010.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here