” Contrate que a torcida paga”. Essa frase já foi muito dita por boa parte da torcida do Bahia, que sempre foi conhecida pela sua grande presença nos estádios onde o time atua. Porém, com a modernização do futebol, as bilheterias deixaram de ser a principal forma de arrecadação dos clubes brasileiros, mas os torcedores seguem tendo um papel fundamental para tornar seus times mais fortes.

Na última terça-feira (15), o Esquadrão de Aço ultrapassou a marca de 18 mil sócios, sendo que cerca de 16 mil desse total estão adimplentes com suas mensalidades, o que representa um recorde no quadro social do clube. Diante disso a equipe do Galáticos Online fez um estudo para abordar o impacto do sócio torcedor nas finanças do Tricolor.

Apenas de janeiro de 2018, até a data do fechamento desta matéria (16/05), foram registradas 4.477 novas adesões ao plano de sócios do Bahia. Esses números, em comparação com o mesmo período do ano de 2017, representam um crescimento de 35%, uma marca a ser comemorada. Contudo, quando se traça um quadro comparativo com outros clubes do país, e se leva em consideração o tamanho da torcida tricolor, o caminho a ser percorrido ainda parece muito longo.

O Esquadrão atualmente arrecada cerca de R$ 1 milhão por mês apenas com o plano de sócios, o que representa cerca de 35% da folha salarial do atual elenco, que gira em torno de R$ 2,8 milhões. O que é arrecadado com o plano de sócios representa cerca de 12,5% de todo o orçamento anual do clube. Apesar de ser uma arrecadação muito boa para um clube que há alguns anos não possuía nenhum atrativo para os sócios, traçando um quadro comparativo, o Sport, outro grande clube do Nordeste, tem cerca de 40 mil associados e arrecada pouco mais que o dobro do que o Tricolor com isso.

Essa comparação pode ficar ainda mais gritante se forem levados em consideração os números de grandes clubes do sul/sudeste, como o exemplo do Grêmio, que com os recentes títulos conquistados, passou a marca dos 140 mil sócios, e chegou a faturar cerca de R$ 7,5 milhões por mês, em 2017, apenas com eles.

Voltando à expressão inicial da matéria, “Contrate que a torcida paga”, de acordo com o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, a ideia é que isso aconteça cada vez mais, de acordo com o crescimento do número de associados.

“O pagamento das dívidas e das despesas administrativas estão garantidos pelo orçamento. Qualquer recurso novo que chegue para o clube tem o futebol como destino imediato. Quanto mais sócios, maior o investimento no futebol”, disse o mandatário em entrevista ao Galáticos Online.

Vale ressaltar que além do importante direito de participar em decisões importantes para o clube, como a escolha do seu presidente, os sócios possuem descontos em ingressos e produtos do clube, e também em uma rede de parceiros credenciados. Além disso, a partir de abril de 2018, os primeiros 20 mil sócios do Esquadrão de Aço terão direito a uma camisa oficial de jogo do time por ano, após o pagamento de 12 mensalidades consecutivas.

Fonte: BocaoNews

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here