Uma briga entre duas gigantes do ramo de bebidas no Brasil chegou ao fim. Uma decisão judicial determinou, nesta quinta-feira (31), que a Heineken deverá manter, até 2022, a Coca-Cola como distribuidora das cervejas da marca.

A Heineken tentou abandonar o acordo em 2017, após comprar a Brasil Kirin, para usar a estrutura de distribuição que herdou do grupo japonês (que teve origem na brasileira Schincariol).

O contrato entre Heineken e o Sistema Coca-Cola, representado legalmente pela Associação Brasileira dos Fabricantes da Coca-Cola (ABFCC), envolve 13 empresas, além da distribuição de outras bebidas alcóolicas, como Kaiser, Amstel, Bavaria, Xingu e Sol.

A decisão judicial garantiu o cumprimento do contrato até que as duas partes resolvam a questão em arbitragem e, em razão do acordo, a Heineken não terá de pagar multa à parceria. A partir de 2022, a tendência é que a Coca-Cola busque uma opção de cerveja, seja por um novo parceiro, seja por uma marca própria que ainda precisa ser criada.

Por meio de nota, a Heineken afirmou que “recebeu a decisão final do processo de arbitragem entre a Cervejarias Kaiser, empresa pertencente ao Grupo, e o Sistema Coca-Cola Brasil, e que sua equipe jurídica está analisando o conteúdo. Em breve, a empresa se pronunciará sobre o assunto”.

Fonte: BocaoNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Digite seu nome aqui