Nesta segunda-feira (17), o deputado estadual Paulo Câmara (PSDB) teceu duras críticas aos dados da Bahia referentes ao índice de desemprego registrado em 2019. Com taxa de 17,2%, atrás apenas do Amapá (17,4%), o estado da Bahia ocupa o segundo lugar no índice de desemprego, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada na última sexta-feira (14), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Esses dados são uma vergonha nacional. Na contramão do Brasil, a Bahia está entre as maiores taxas de desemprego do país, taxas tamanho G, de governo do estado. Isso demonstra como está sendo conduzida a política econômica do governador Rui Costa, sem geração de emprego e renda no nosso estado”, criticou Câmara.

De acordo com a pesquisa, a taxa média de desemprego no ano passado caiu em 16 estados, acompanhando a média nacional, que recuou de 12,3% em 2018 para 11,9% em 2019.

No quesito de desalentados, que são pessoas que desistiram de procurar emprego, o número ficou estável em 4,6 milhões de pessoas, porém, o maior contingente foi novamente registrado na Bahia (774 mil), o que corresponde a 16,8% de todo o Brasil. “Mais uma situação vergonhosa para nosso estado. Os números comprovam que os baianos estão desacreditados e sem perspectiva de encontrar um emprego”, frisou o deputado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Digite seu nome aqui