A interrupção das atividades legislativas por causa do coronavírus passou a ser uma hipótese provável na opinião de senadores. Segundo a coluna Painel da Folha de S.Paulo, a expectativa é de que reformas econômicas, aposta do governo para o país, devem atrasar mais. Ações mais urgentes, como a liberação de verbas para a Saúde, sairão por medida provisória, de vigência imediata.

A discussão em torno da suspensão das atividades ganhou força na última quarta-feira (11), na Câmara, quando os senadores Nelsinho Trad (PSD-MS) e Jorginho Mello (PL-SC), que viajaram com o presidente Jair Bolsonaro aos EUA, informaram aos colegas que um dos membros da comitiva estava sob suspeita de coronavírus.

Ainda de acordo com a Painel, parlamentares se queixaram da presença dos colegas, temendo a contaminação. Um frasco de álcool gel chegou a circular entre os presentes, trazido pelo ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde).

Fonte: BocaoNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Digite seu nome aqui