Dos 237.208 casos confirmados do novo coronavírus desde o início da pandemia na Bahia até esta segunda-feira (24), 904 são de indígenas que vivem no estado. De acordo com o boletim mais recente divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), do número total de registros, 278 estão espalhados em 36 aldeias no território baiano, enquanto 626 não tem identificação ou são índios não-aldeados.

Com 59 registros de infectados, a aldeia Trevo do Parque, que fica às margens das rodovias BR-101 e BR-498, no sul do estado, lidera a lista de casos da doença entre as comunidades indígenas da Bahia. Em seguida, aparecem as aldeias de Nova Vida – localizada em Camamu, no baixo-sul baiano – com 27 casos e Corumbauzinho – situada na cidade de Prado, no sul do estado – com 18 diagnósticos. Veja tabela completa no final da matéria.

Algumas aldeias que ficam no sul e extremo sul da Bahia chegaram a fechar como medida para conter o avanço do vírus. Na maioria das localidades, a presença de visitantes está suspensa e só é permitido a entrada de indígenas com máscaras.

Conforme dados da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), a Bahia tem 25 etnias indígenas, distribuídas em 192 comunidades e 6.609 famílias. Isso significa um total de 33.042 indígenas aldeados, em 39 municípios de 15 Territórios de Identidade.

Divergência de dados

No Brasil, foram registrados 27.351 casos confirmados de coronavírus, segundo dados contabilizados até esta segunda-feira (24) pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib). A Secretaria de Saúde Indígena (Sesai), do Ministério da Saúde, apresenta um número menor: 21,459 mil confirmados até esta segunda.

As mortes devido à Covid-19 também apresentam divergência. A comissão da Apib, que conta com entidades ligadas às comunidades indígenas, afirma que são 718 mortos, enquanto a Sesai diz que são 353. Em relação ao número de óbitos na Bahia, tanto a Abip quanto a Sesai divulgaram a mesma quantidade, duas mortes.

Ainda de acordo com a Apib, o primeiro caso confirmado de contaminação por Covid-19 entre indígenas brasileiros foi de uma jovem de 20 anos do povo Kokama, no dia 25 de março, no município amazonense Santo Antônio do Içá.

Fonte: BocaoNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Digite seu nome aqui