Governador do Estado, Rui Costa anunciou que a Bahia chegou ao maior número de pacientes internados em UTI’s desde o início da pandemia do coronavírus, em março de 2020. São 866 pessoas internadas em todo o estado de acordo com dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) às 14h40 desta sexta (19). A informação foi divulgada pelo governador pelas redes sociais.

“Infelizmente, a Bahia bateu um triste recorde nesta sexta-feira. Neste momento, 866 pacientes com #Covid19 estão internados em leitos de UTI. É o maior número desde o início da pandemia. Até quem tem plano de saúde já não acha leito na rede privada e procura unidades públicas”, escreveu o governador. “Ultrapassamos hoje a marca de 11 mil mortes pelo #coronavírus na #Bahia, mais um triste número a registrar. O momento é de profunda tristeza. Que Deus conforte a família de cada uma dessas vítimas da #covid19. O momento é muito grave e exige a atenção de todos. Cuide-se”.

Esse número de internados corresponde a uma ocupação de 80% dos 1.078 leitos de terapia intensiva disponíveis no Estado. Também nesta sexta (19), Rui afirmou que se a ocupação chegasse a esse número, o toque de recolher será ampliado.

“Continuamos crescendo os números, tanto de leitos, quanto de casos ativos. É preciso que as pessoas colaborem, usem máscara, higienizem as mãos e mantenham distanciamento. Caso contrário, se os números continuarem crescendo, nós vamos ter que tomar outras medidas. Se chegar nos próximos dias a 80%, eu vou imediatamente ampliar o horário do toque de recolher”, garantiu o governador, falando à TV Bahia.

O CORREIO buscou o Governo do Estado para saber se essas medidas realmente vão acontecer, mas não teve resposta até o fechamento desta reportagem. No entanto, já está confirmado que o hospital de campanha da Arena Fonte Nova, em Salvador, pode ser reaberto para atender à alta demanda por leitos para o tratamento de pacientes com a covid-19 na Bahia. O Governador também informou que serão abertos mais 20 leitos de UTI nos próximos dias.

“Já mandei mobilizar, reorganizar e abrir o processo de contratação de uma OS [Organização Social] para reabrir a Fonte Nova para que a gente consiga fazer frente a esse avanço do vírus”, disse Rui.

Para o governador, as medidas duras são difíceis, mas são melhores do que o cenário de caos que pode acontecer diante do colapso do sistema. “Nós não podemos repetir cenas que, infelizmente aconteceram em outros estados, de famílias desesperadas nas portas de UPAs ou de hospitais, ou chorando na porta de cemitérios os seus entes queridos”.

Outras medidas como o fechamento do comércio não estão descartadas. “A restrição de funcionamento daquilo que gera mais aglomeração e que gera mais contágio, as atividades mais vinculadas às taxas de contágio. Essas atividades são aquelas exercidas sem uso de máscara e em lugares confinados, fechados”, avaliou.

Por Vinícius Nascimento / Redebahia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here